Esta postagem foi publicada na URL abaixo, nos avise se precisar alterar algo:
https://minilua.com/bacterias-destruir-humanidade/

Segundo a OMS, estas 12 bactérias poderiam destruir a humanidade

bactérias

As bactérias são uma parte fundamental de nossas vidas. Elas estão em nossa pele, nossos intestinos, saliva, no ar e tudo o que tocamos. Também nós as compartilhamos diariamente, quando dizemos Olá ou dividimos uma bebida.

De fato, as bactérias estavam entre os primeiros organismos vivos a aparecer na Terra a cerca de 3,8 bilhões de anos atrás. Hoje, estima-se que existem cerca de 5 milhões de bilhões de bilhões de bactérias, ou seja, um 5 seguido de 30 zeros, conforme abaixo:

Somente percebemos uma pequena porção e das que conhecemos com profundidade, sabemos que há várias que devemos tomar cuidado. A este respeito, a OMS nomeou 12 bactérias que são uma grande ameaça para a saúde humana, principalmente por sua resistência aos antibióticos.




As bactérias e a resistência aos antibióticos

antibióticos

A Organização Mundial da Saúde explica que a resistência das bactérias aos medicamentos pode ser uma ameaça maior para o câncer. Isto porque, inicialmente, as bactérias são eliminadas por compostos feitos para ele, mas com o gradul e o seguido uso destes compostos para qualquer infecção (pequena ou grave), as bactérias começam a se acostumar e resistir.

Os organismos bacterianos são especiais, pois eles podem se adaptar rapidamente para sobreviver, enquanto os seres humanos demoram milhões de anos para fazê-lo.

Assim, se os antibióticos perdem a sua eficácia na eliminação de bactérias em infecções, muitos procedimentos médicos, tais como transplantes de órgãos, cesariana, quimioterapia e outros procedimentos podem começar a ser perigosos se realizados. Em outras palavras, vamos voltar várias décadas em termos de medicina.

E isso pode acontecer, os números provam isso. A cada ano cerca de 700.000 pessoas morrem no mundo devido à infecção de bactérias resistentes à antibióticos. Em 2050 estima-se que a proporção pode chegar a 10 milhões de pessoas.

Por esta razão, a OMS adverte que não se deve abusar do uso de antibióticos para não “dar” as bactérias a chance de tornar-se resistentes. Mas para algumas bactérias infelizmente já é tarde demais, como é o caso veremos a seguir.




A lista de bactérias OMS

troca de sabão bacteriana 3

Esta lista foi criada com a finalidade de demonstrar para a comunidade científica a importância de encontrar novos antibióticos, já que  vários dos que já existem não servem para muitos casos

A lista está organizada de acordo com a situação crítica de bactérias, da mais perigosa para a de menor prioridade. Dentro do grupo mais crítico são bactérias resistentes a vários antibióticos e comumente encontradas em hospitais.

São prioridade crítica estas três bactérias:

Pseudomonas aeruginosa é resistente a antibióticos Carbapenem
Enterobacteriaceae é resistente a antibióticos Carbapenem
Acinetobacter baumannii é resistente a antibióticos Carbapenem

São de alta prioridade estas seis bactérias:

Enterococcus faecium, resistente ao antibiótico Vancomicina
Staphylococcus aureus resistente ao antibiótico Meticilina, e a intermediários da vancomicina 
Helicobacter pylori resistentes à Claritromicina 
Várias espécies de Campylobacter, resistente à Fluoroquinolonas 
Salmonelas resistentes à Fluoroquinolonas 
Neisseria gonorrhoeae, resistentes à Fluoroquinolonas e Cefalosporina

Estes são os de prioridade média:

Streptococcus pneumoniae, não suscetível a Penicilina 
Haemophilus influenzae, resistente à Ampicilina 
Várias espécies de Shigella, resistente às Fluoroquinolonas

Talvez no futuro, mais antibióticos serão criados e poderemos diminuir o domínio que as bactérias têm sobre nós.

Topo